Compositor/Violonista – Composer/Classical Guitarist

Audios

Haptico I (a) – (for Brass Quintet) – Quinteto de Metais Vibrassom

Por que sou forte (for voice and guitar) -trecho/excert – Andreia Lira, voice

Ciclo Hápticos (for Wind Quintet) – Quinteto Brincadeira a Cinco

Ciclo Hápticos (Háptico I, II e III) é parte do 4˚ e último capítulo da minha dissertação de mestrado “A Textura Musical na Obra de Pierre Boulez”. Neste obra procurei utilizar os resultados da pesquisa e análise de 3 obras de Boulez afim de modelar e parametrizar as composições fazendo uso de dois procedimentos metodológicos, o primeiro o software PARSEMAT de Pauxy Gentil-Nunes, o qual utilizei para obter todas as combinações possíveis do número 5 (quinteto) e assim poder construir e delinear a forma (seções e subseções das peças) usando todas as partições (conjunto de combinações do número) possíveis para essa formação. O segundo procedimento metodológico foi a utilização do Sistema GR (Carlos Almada) para geração do material de alturas e ritmos tendo como fonte 2 motivos extraídos das obras analisadas na dissertação. Para Hápticos I, Sonatine, para Hápticos II, Le Marteau sans Maître e para Háptico III, Dérives 1. Apesar desse uso, absolutamente imperceptível mesmo para um profundo conhecedor das obras, o diálogo com as mesmas se estabelece mais nitidamente no espelhamento da forma e na tentativa de recriar em alguma medida seu caráter textural, ora mais motívico no Háptico I (Sonatine), ora mais pontilhado e irregular no Háptico II (Le Marteau) ora vago e incerto, Háptico III (Dérives 1).

Háptico III (for Wind Quintet) – Quinteto Brincadeira a Cinco

Háptico II (for Wind Quintet) – Quinteto Brincadeira a Cinco

Na minha lembrança, ela voa”  (to Diana Rosa, in memoriam) for 2 Cellos

Projeto Baixo Clero convida Duo Santoro (Paulo e Ricardo Santoro, cellos)

The piece was dedicated to the memory of the artist Diana Rosa, a young lady who died at the age of 27 during sleep.

The piece was premiered by the  “Duo Santoro” an acclaimed twin-brothers Cello Duo who’s been performance together for more 20 years in Brazil and abroad.

Almada N˚ 2 (for String  Quartet) 

Almada N.2 (for string quartet) was written using the GR-System (Gr- Grundgestalt) – developed by the composer and researcher Carlos Almada. The main idea is to extract from a 4 notes-motif all the material of the piece through a progressive variation using a software developed for that purpose. The 4 notes-motif used (as grundegestalt) here was extract from the Minuet of the Piano Suite op. 24 by Schoenberg.

Almada Nº 2 (para quarteto de cordas) é uma forma-sonata composta a partir do sistema-Gr (de Grundgestalt) – desenvolvido  pelo compositor e pesquisador Carlos Almada (UFRJ) – no qual a partir de um excerto musical qualquer é extraído todo o material melódico, harmônico e rítmico que será utilizado na peça. O motivo gerador do material foi extraído do tema do Minueto da Suíte para Piano op.25, de A. Schoenberg.  O parâmetro textura é utilizado como elemento delineador da forma.

Partículas Elementares (for flute and guitar) 

Aquele grito insistente: “pega, essa p***, pega ***, pega essa m**, p***” repetido por algum dos muitos e inusitados personagens da Lapa, parecia ter um ritmo, um “cadência” diferente. É ele que se escuta logo nos primeiros compassos e a partir daquelas poucas alturas que toda a estrutura de Partículas Elementares se desenvolve .

A constant and annoying yelling: “take that sh**, take that Sh**, take take sh**, da***d” repeated by one of many picturesque characters of Lapa ( a famous neighborhood in Rio de Janeiro Center City), for me , sounded with some sort of rhythm and metric, and hammered in my head for a couple of days. Those “yells” are on the very first bars and from that few notes that all the structure of Elementary Particles is developed.

Suíte Recife (for Saxophone Quartet) – Quarteto de Saxofones  4 x4

A paisagem musical urbana de Recife mistura, da periferia aos bairros nobres, tradição e invenção de modos diversos e difusos. Em vias distintas, frevo, brega e mangue hoje se encontram na encruzilhada do carnaval e representam bem esse universo sonoro atual. A partir de pequenos excertos de um frevo tradicional, duas canções de Reginaldo Rossi e duas de Chico Science, Suíte Recife reinventa essa paisagem sob o olhar ao mesmo tempo distante e íntimo.

The urban landscape of Recife mixes, from suburban areas to noble neighborhoods, tradition and invention in a variety of approaches and styles. On the different paths, Frevo, Brega and Mangue (beat) meet each other on the crossroad of Recife’s carnival and represent well the actual popular sounding universe. From small (4 notes each) excerpts from a famous “frevo” (Vasssourinhas), from 2 songs of the most popular singer and songwriter of Brega style (Reginaldo Rossi) and from a small “riff” of a Chico Science‘s song, Suite Recife recreates that landscape under a very personal and both intime and apart regard.

Quasi Toccata (for 2 guitars)

Quasi Toccata, a rigor , não é uma peça que foi composta durante o mestrado, mas sim, revista para a seleção do mesmo. A peça brinca com a ideia de toccata, numa vaga lembrança de DomenicoScarllati, tendo o material extraído e desenvolvido a partir de um motivo de funk interpretado pela cantora carioca  Perlla.

Quasi Toccata ( guitar duo), strictly, the piece was not written during the master course, but reviewed for the entrance portfolio exam. The work is a very unpretentious play with the idea of toccata, vaguely inspired on Domenico Scarllati recollection, having all materials extracted and developed from a funk melody recorded by the singer Perlla

Sem título (para piano e flauta) 

Sem Título (flauta e piano)

Sem título é a tentativa de uma composição serial dodecafônica. A série construída a partir de um sequência de notas de uma obra de Pierre Boulezé organizada em grupos ou “entidades” tal qual propõe Boulez nos seus apontamentos.  A série serviu , no entanto,  apenas como guia geral,

não sendo seguida ortodoxamente como manda o receituário serial ao longo da
peça, cuja formação instrumental inspirada na célebre “Sonatine” do compositor francês.
​ ​
No Title (for flute and piano) This piece is a “frustrated” attempt to create a 12-tones serial composition. The serie is extracted from a sequence of notes in a work by Pierre Boulez, and organized in groups or “entities” such as Boulez has written in his texts.  The serie was used, after all, only as a general guide instead of the orthodoxy approach of 12-tone traditional compositions. The instrumental choice was inspired on the celebrated piece “Sonatine” by the french composer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s